terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Lendas e Assombrações de Pernambuco



Mulher da Sombrinha - Lenda de Catende, na Zona da Mata, é avistada por trabalhadores à noite, que logo ficam fascinados por ela e aceitam o convite para passear pelo cemitério. Apesar de temida, também virou um boneco gigante no Carnaval da cidade.



Perna Cabeluda – Boato surgido nos anos 1970 no Recife, a perna pulava só e dava chutes em quem encontrasse, especialmente se visse moças com vestidos curtos. Teve ampla repercussão em rádios e jornais na época.



Cabra que janta crianças – Com aparência comum, a Cabra-Cabriola lança fogo pelos olhos, narinas e boca e se alimenta de crianças – quanto mais desobedientes, maior o perigo.



Mulher de algodão – Uma assombração que pairava em banheiros de colégios. A origem mais famosa é de que se trata da vingança de uma mulher que cometeu suicídio depois de saber que o filho morreu trancado em um banheiro.



Pedra que engole gente – A Estrada da Siqueira, em Rio Formoso, abriga uma pedra negra de três metros com um rosto humano. Para atrair homens, a pedra vira uma mulher nua e engole os curiosos.



Cumadre Fulozinha – Vigilante implacável contra maus-tratos com animais, a Cumadre Fulozinha também tem o hábito de fazer tranças nas crinas de cavalos. Pode até ajudar pessoas perdidas, caso peçam auxílio humildemente.



Mula-sem-cabeça – Segundo as lendas populares, homens podem virar lobisomens. Para as mulheres, a maldição é outra: se tornar um cavalo com fogo no lugar da cabeça e com cascos afiados como navalhas. Vira mula-sem-cabeça aquela que foi amante de um padre.





Fonte: JC Online

Um comentário:

Thiago Indiano disse...

Agora entendo o que Chico Science quis dizer com: "Galeguinho do Coque não tinha medo, não tinha. Não tinha medo da perna cabeluda." Faz parte do álbum da lama ao caos do artista pernambucano.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...