quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Submarino nazista é descoberto afundado na costa dos EUA







A embarcação afundou com toda a tripulação, e o local do naufrágio é considerado um cemitério submarino.

Pesquisadores informaram na terça-feira a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na costa americana do Atlântico durante uma batalha na II Guerra Mundial.


O U-boat 576 foi localizado na região do Cabo Hatteras, na Carolina do Norte, sobre o leito marinho e próximo ao cargueiro Bluefields, revelou um comunicado do escritório de santuários marinhos da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA).


"Isto não é apenas a descoberta de um naufrágio", disse o líder da expedição do NOAA, o pesquisador Joe Hoyt. "É uma janela para uma histórica batalha e o quadro de um campo de batalha submarino da II Guerra Mundial".


Em 15 de julho de 1942, um comboio de 19 navios mercantes, entre eles o Bluefields, transportava insumos de guerra de Norfolk, Virgínia, para Key West, na Flórida, quando foi atacado pelo submarino.


O U-576 afundou o Bluefields e danificou seriamente outros dois navios, mas foi atingido pelo bombardeio de um avião da Marinha americana e pelo fogo de um cargueiro armado. No final da batalha, "o Bluefields e o U-576 naufragaram", destacou o NOAA.


"Pouca gente se dá conta do quão perto esteve a guerra da costa americana", disse David Alberg, diretor do NOAA.


Não houve vítimas do lado americano, mas o submarino alemão afundou com toda a tripulação, e o local do naufrágio é considerado um cemitério submarino.


O ministério das Relações Exteriores da Alemanha disse que o país não está interessado em participar da recuperação dos destroços do submarino, mas pediu que, "na medida do possível", deixem "os mortos descansar em paz".




Fonte: Terra

Nasa registra imagem polêmica em Marte



Internautas questionam se existiriam "humanoides" ou "apenas pedras".


Mais uma foto divulgada pela Nasa reavivou a discussão sobre a possibilidade de existir vida em Marte. Especula-se que a foto mostra "duas figuras humanoides" averiguando o local.


Várias imagens de pedras em Marte já foram confundidas com objetos da Terra. Seria esta mais uma? A Nasa já registrou um “dedo fossilizado” e um “roedor”. A nova imagem disponibilizada tem causado estranhamento na web.


A discussão que permanece pela internet e nas redes sociais é se realmente seriam dois pequenos seres humanos ou apenas pedras empilhadas neste formato. A Nasa não se manifestou sobre a imagem.  







Fonte: Band

No Acre, fóssil de preguiça gigante é resgatado por pesquisadores

 Cranio da preguiça atual em cima da ossada do crâncio da preguica gigante


A ossada fossilizada de uma preguiça gigante foi resgatada no Rio Clandless, afluente do Rio Purus, por pesquisadores da Universidade Federal do Acre (Ufac), em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Rio Branco (Sema).


O paleontólogo Jonas Filho disse que a ossada é de um Eremotherium (preguiça gigante) que habitou a região há cerca de 11 mil anos.


- É um dos maiores eremotérios já coletados e uma das ossadas mais completas desses animais encontradas na Amazônia. Em Belo Horizonte, já foram coletados ossadas mais completas desse animal pré-históricos – acrescentou o paleontólogo.


Eremotério era uma preguiça gigantesca, cujo tamanho poderia ser comparado a de um elefante de porte médio, que viveu durante os períodos Plioceno e Pleistoceno nas Américas do Sul e do Norte.




Arqueólogos descobrem em Jerusalém inscrição dedicada ao imperador Adriano





 
Arqueólogos israelenses apresentaram nesta terça-feira uma pedra comemorativa com uma inscrição dedicada ao imperador romano Adriano que, segundo os cientistas, ajuda a entender aspectos da revolta judaica contra o império no ano 135.


A pedra mede um metro por um metro e meio e pesa uma tonelada. Foi encontrada perto da entrada da área antiga de Jerusalém pela Porta de Damasco.


Segundo a Autoridade de Antiguidades de Israel, esta é "uma das mais importantes inscrições latinas" que encontradas em Jerusalém.


As seis linhas em latim estão dedicadas pelo exército romano a Adriano, que visitou Jerusalém no ano 130.


O acontecimento mencionado na inscrição ocorreu antes da revolta de Bar Kojba, líder do último levante judeu contra o império romano no ano 135 depois de Cristo, afirmou à AFP Rina Avner, que coordenou os trabalhos que permitiram encontrar a pedra.


Avner afirmou que os historiadores estão divididos sobre a revolta. Alguns acreditam que foi a consequência das medidas duras adotadas contra os judeus pelo imperador, que reconstruiu a cidade com templos pagãos e a chamou de Aelia Capitolina. Outros acreditam que os decretos de Adriano foram um castigo pela revolta.


A descoberta é uma prova da "construção de edifícios oficiais romanos na cidade" de Jerusalém naquele ano, afirmou Avner.


A inscrição não muda como a história é contada, mas é "outra peça significativa do quebra-cabeças que tentamos resolver há algum tempo", declarou.



Fonte: BOL

Encontrada cabeça de esfinge em mausoléu de Anfípolis

Foto divulgada em 12 de outubro de 2014 pelo ministério grego da Cultura mostra mosaico descoberto na maior tumba antiga encontrada até hoje na Grécia, em Anfípolis



Uma cabeça de esfinge em mármore quase intacta foi encontrada em um mausoléu na antiga cidade grega de Anfípolis, na região da Macedônia, informou nesta terça-feira o ministério da Cultura.


A escultura tem uma altura de 60 centímetros e apresenta "restos de coloração vermelha", segundo o comunicado ministerial.






No mesmo local foram encontrados fragmentos das asas da esfinge.


"Esta cabeça pertence ao tronco de uma esfinge encontrada anteriormente", destaca o comunicado. Desde agosto passado foram encontradas neste mausoléu da época helenística duas imponentes esfinges, um mosaico de piso, colunas esculpidas, duas cariátides de mais de dois metros de altura e um importante mosaico que representa o rapto de Perséfone por Plutão.


Desde o início das escavações em Anfípolis se discutem diferentes hipóteses sobre a quem pertencia a tumba: Roxane, mulher persa de Alexandre, Olimpia, a mãe do rei, ou um de seus companheiros ou generais.


A possibilidade de o próprio Alexandre estar enterrado na tumba é praticamente nula. Após sua morte, aos 32 anos, na Babilônia, seus restos mortais foram levados para Alexandria, Egito. Os arqueólogos esperam poder elucidar o segredo do mausoléu de Anfípolis até o final de outubro.




Fonte: Yahoo!

Cientistas identificam peixe pré-histórico como primeiro a fazer sexo





Cientistas acreditam ter descoberto a origem do sexo.


Segundo um grupo internacional de pesquisadores, um peixe pré-histórico, o Microbrachius dicki, é o primeiro animal que se tem notícia de ter parado de se reproduzir com fertilização externa (em que os peixes inseminam seus ovos fora dos organismos) e começado a copular.


O peixe, que viveu há 385 milhões anos e media apenas 8 cm, vivia em lagos no que hoje é a Escócia.

As conclusões dos cientistas foram publicadas da revista de ciência Nature.


"Nós definimos o ponto da evolução em que teve início a fertilização interna nos animais", afirma John Long, acadêmico da Flinder University, da Austrália, de um dos principais autores do estudo.

 
 
Apêndice em 'L'


Long revelou que sua descoberta ocorreu por acaso, enquanto observava alguns fósseis.


Ele percebeu que um dos espécimes do peixe tinha um apêndice em forma de "L", diferentemente de outros fósseis, que continham uma espécie de abertura.


"Esse apêndice era usado para transferir o sêmen para a fêmea", explica o pesquisador.


Por conta de sua anatomia, o Microbrachius precisava fazer uma estranha "dança" de acasalamento.


"O peixe precisava copular de lado, como numa espécie de dança, em que as barbatanas serviam para dar apoio enquanto o macho introduzia seu membro na fêmea", diz Long.


Curiosamente, essa forma de reprodução não durou. Os pesquisadores acreditam que o Microbrachius voltou a utilizar a inseminação externa. A copulação só voltaria a ocorrer no mundo animal milhões de anos depois, em algumas espécies de tubarões e arraias.


Outra grande surpresa é o Microbrachius ter passado despercebido por tanto tempo pelos cientistas.


"Este peixe é bastante conhecido e seus fósseis são comuns. Não se trata também de um animal encontrado em alguma localização exótica. É incrível que não tenhamos percebido antes", afirma o biólogo Matt Friedman, da Universidade de Oxford.


Em 2009, outro estudo apontara um outro peixe, o Incisoscutum ritchiei, como o primeiro animal a tentar a reprodução pelo ato sexual, mas a criatura viveu pelo menos 20 milhões de anos depois do Microbrachius.
 
 
 
 
Fonte: UOL

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Você já ouviu falar de lagos que explodem? Saiba que isso pode acontecer



Nosso universo está repleto de catástrofes naturais de todos os tipos e magnitudes, quase todas estudadas a fundo pela Ciência. No entanto, apesar do medo generalizado causado por furacões, terremotos e tsunamis, muitos ignoram o perigo real existente em um raro fenômeno: os lagos que explodem. 


Apesar de parecer estranho, a explosão de um lago foi exatamente o que aconteceu no dia 15 de agosto de 1984, mais precisamente o lago Nyos, em Camarões, e dois anos depois, no lago Monoun, no mesmo país. O primeiro deixou um saldo de 37 pessoas e milhares de vacas mortas. O segundo foi ainda pior: 1.700 pessoas e 3.500 animais perderam a vida.


Em ambos os casos, uma nuvem branca, bastante carregada se expandiu por quase 30 quilômetros sobre o lago antes da dita explosão. No começo, se pensou que o enxofre havia provocado a explosão, hipótese que em seguida foi descartada. 


O caso foi estudado detalhadamente pelo geólogo William Evans, que, entrevistando testemunhas, descobriu que o cheiro emanado pelo lago durante as explosões era bastante semelhante ao descrito por pilotos da Segunda Guerra Mundial, quando expostos a altas concentrações de CO2. “Quando as mostras de água foram analisadas, poucos dias depois do evento, havia entre 90 e 99% de CO2”, explica Evans. Sua liberação de forma tão repentina causou a explosão.


A causa do estranho evento pode residir no deslizamento de terras, já que em ambos os lagos eles ocorreram. Pouco antes das explosões, a concentração de dióxido de carbono já era três vezes maior do que o limite suportado pelo ser humano. 


Apesar de pouco comum, o fenômeno poderia acontecer novamente, com consequências calamitosas. O lago Kivi, em Ruanda, por exemplo, tem uma quantidade de metano tão grande que seria capaz de abastecer a demanda de eletricidade dos Estados Unidos inteiro. Caso explodisse, as perdas humanas seriam incalculáveis.



Fonte: History

Tutancâmon usava bengala e teve pênis embalsamado a 90 graus




 
 
Os pais do rei egípcio eram irmãos - o que teria causado problemas genéticos e disfunções hormonais.
 
 
Em um dos estudos mais profundos sobre Tutancâmon, cientistas europeus e africanos conseguiram recriar a imagem do rei egípcio através de mais de 2 mil escâneres e autópsias virtuais. 


Segundo as análises genéticas, Tutancâmon tinha dentes tortos, quadril de mulher e uma deficiência na perna que o fazia mancar. As informações são do Daily Mail.


Pelo mapeamento genético, os cientistas conseguiram descobrir que os pais de Tutancâmon eram irmãos – por isso, ele apresentava diversos problemas hereditários, o que pode ter causado sua morte.

  
O estudo mostrou, por exemplo, que a versão de que Tutancâmon teria morrido durante uma violenta corrida de bigas - carros de guerra de duas rodas puxados por cavalos -, é muito improvável, senão impossível. 


Afinal, se o rei egípcio precisava da ajuda de uma bengala apenas para caminhar, tamanha a dificuldade de se equilibrar sobre as pernas malformadas, equilibrar-se sobre uma charrete de guerra puxada em alta velocidade seria fisicamente impossível. 


Ainda de acordo com o estudo, o rei sofria de distúrbios hormonais, o que teria causado o quadril largo, por exemplo, e a morte prematura durante a juventude. 


O radiologista egípcio Ashraf Selim disse que as autópsias virtuais mostram que “os dedos do pé eram divergentes, ou seja, tortos”. Também foi encontrada uma fratura no joelho que pode ter infeccionado e causado sua morte em 1323 a.C.


Algumas revelações curiosas sobre sua mumificação também foram feitas pelos cientistas: o rei teve o pênis embalsamado a 90 graus (como se estivesse ereto), estava coberto por um líquido preto e teve o coração retirado para que as pessoas pensassem que fosse um deus – inspirado em Osíris, como explicou o professor Salima Ikram, da Universidade Americana do Cairo. Em seu sarcófago, foram encontradas 130 bengalas – que teria usado ao longo da vida para andar.  


As descobertas foram reveladas em um documentário da BBC One chamado “Tutankhamun: The Truth Uncovered”. 




Fonte: Terra

População de Santana do Acaraú vê suposto disco voador



Um objeto flamejante nos céus assustou os moradores da cidade de Santana do Acaraú na noite de segunda-feira (20). Populares chegaram a se referir ao objeto como sendo um objeto voador não identificado (OVNI).

O que acontecia, na verdade, não envolvia vida extraterrestre. O suposto OVNI era um meteoro. A aparição dele se deve à região em que a Terra orbita neste momento. A cada 75 anos, o planeta passa próximo ao cometa Halley e os meteoros vistos no céu são detritos oriundos do astro. Ao entrar em contato com a atmosfera, os detritos pegam fogo.

Mais meteoritos devem aparecer nos céus nos próximas noites. Para conferir, basta ficar de olho na constelação de Órion, próximo às Três Marias, ao leste.



Fonte: O Estado

Fantasma “possui” mulher e escreve carta usando suas mãos


Catherine escreveu em italiano perfeitamente (Reprodução / Mirror)


Uma mulher surgiu recentemente afirmando que ela permite que um fantasma a possua e, em seguida, use suas mãos para escrever cartas.


Apesar de soar estranho, Catherine Kennedy jura que ela está sendo manobrada por um espírito que habita seu corpo. Em um vídeo, ela aparece sentada em uma mesa na Escócia, e, em seguida, ela começa a escrever “automaticamente”.


Catherine garante que reuniu o seu marido Antonio e um de seus amigos mortos Ivo, depois de escrever uma carta em italiano, apesar de não ser capaz de falar o idioma fluentemente.


“No começo, meu marido não acreditou em mim, mas quando leu as cartas ele disse que era óbvio que não era eu”, disse. “Ele ficou surpreso com a minha tradução impecável.”


A mulher também relatou que o fantasma lhe revelou o que acontece na vida após a morte, mas, claro, como ela prometeu à entidade guardar segredo, ela não pode revelar a informação, contou o Metro.
 
 
 
Fonte: POP
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...